• Notícias

  • Colunistas

  • Agenda

  • Parceiros

    Parceiros
  • Tenho sopro no coração, e agora Dra.?

    O sopro cardíaco é uma patologia muito comum, e muitas vezes é sinônimo de cirurgia cardíaca. Frequentemente o paciente ouve o médico falar que tem um sopro no coração, mas raramente entende o que isso significa e quais suas consequências.

    O diagnóstico do sopro é feito pela ausculta cardíaca realizada pelo cardiologista em uma consulta de rotina ou de check up. Após descoberto o sopro deve-se iniciar a complementação do diagnóstico pelo exame chamado ecocardiograma (um ultrassom do coração). Um exame muito simples, indolor, rápido, e que revela inúmeras informações. Nesse exame, serão analisadas várias características do coração, incluindo o estudo dos sopros cardíacos.

    O sopro cardíaco pode ser formado pela simples passagem de sangue pelas artérias e válvulas cardíacas (assim como o barulho das águas de um rio), o chamado sopro inocente. Porém, pode ser secundário a uma má formação cardíaca, estenose de uma valva ou insuficiência da mesma. É muito importante saber sua causa para então iniciar o melhor tratamento. Quanto antes for descoberto o sopro, e iniciado o tratamento, melhor será o resultado do mesmo.

    Algumas doenças não cardiológicas também podem causar sopro, como: doenças da tireoide, anemia, febre reumática, doenças pulmonares, hipertensão arterial sistêmica, entre outras. Portanto, se você for portador de alguma dessas patologias, deve procurar o cardiologista. O sopro causado por essas doenças muitas vezes pode desaparecer se o tratamento for realizado precoce e corretamente.

    O portador de doença valvar pode sentir falta de ar, fadiga, sensação de afogamento ao deitar, tonteira, desmaios, palpitações e inchaço nas pernas. Se a doença não for tratada pode agravar-se levando a lesão de outros órgãos como os pulmões e os rins, podendo até levar a morte súbita.

    Além disso, o paciente que possui sopro pode necessitar de cuidados especiais quando fizer algum procedimento dentário ou médico, como cirurgias e punções, pois esses procedimentos podem favorecer a infecção da válvula lesada e promover sua falência. Por isso é extremamente importante saber se você é portador dessa patologia.

    Atualmente temos inúmeros tratamentos para os sopros cardíacos, podendo ser realizado com medicações, cateterismo, e cirurgias de plástica da válvula ou com a inserção de uma prótese valvar. Quanto antes for diagnosticada a doença e tratada, maior a chance de não precisar de cirurgia e até de curar-se. Dessa forma, procure seu cardiologista para uma consulta de rotina.

    Dra. Paula Fontes Gontijo – Médica Cardiologista e Ecocardiografista da Santa Casa de Patrocínio.

    Consultório no Centro Médico – (34)3831-8899/3831-3670.

     Imprimir

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!

  • Publicidade