• Notícias

  • Colunistas

  • Agenda

  • Parceiros

    Parceiros
  • Cooperativas fomentam produção de pequenos cafeicultores

    P1 / Ascom CNC

    BALANÇO SEMANAL — 1º a 05/04/2019

    Balanço de entidades associadas ao CNC revela exemplo de gestão e relevância do cooperativismo aos produtores

    O cooperativismo é uma filosofia que tem como fim transformar o mundo em um lugar mais equilibrado, correto e justo, proporcionando melhores oportunidades para todos, evidenciando que é possível um modelo de negócios unir produtividade e sustentabilidade, individual e coletivo e desenvolvimentos social e econômico.

    Segundo o presidente do Conselho Nacional do Café (CNC), Silas Brasileiro, as cooperativas cafeeiras do Brasil são exemplo de gestão e viabilizadoras da atividade para milhares de pequenos cafeicultores, que respondem por mais de 80% da safra nacional.

    “Nossos cafeicultores estão unidos em cerca de 100 cooperativas, que alavancam nossa cafeicultura ao disponibilizarem, de maneira mais acessível, com preços justos e competitivos, insumos, defensivos, maquinários, tecnologias, além de armazenagem, assistência técnica e ferramentas de comercialização também mais justas”, aponta.

    Ao longo das últimas semanas, cooperativas associadas ao CNC realizaram suas Assembleias Gerais Ordinárias (AGOs) e, como resultado, seus balanços evidenciaram a relevância que essas organizações têm para a cafeicultura e, principalmente, para os pequenos produtores de café do Brasil.

    COOXUPÉ
    A Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé distribuirá R$ 50.048.032 aos seus cooperados. O valor exclusivo aos associados vem das sobras da Cooxupé, com base nos resultados de 2018. Deste montante, R$ 29.987.180 serão distribuídos em espécie aos produtores e R$ 20.060.853 destinados à conta capital, o que representa um tipo de poupança administrada pela cooperativa. As distribuições de 2018 são 70% maiores em relação às de 2017, quando o valor compartilhado com os associados totalizou R$ 29,5 milhões.

    Com faturamento de R$ 3,793 bilhões, as sobras somaram R$ 143.926.486 no total, valor 42% maior na comparação com 2017 (R$ 101 milhões). Além dos R$ 50.048.033 distribuídos aos cooperados, o restante do valor foi destinado para as disposições estatutárias da cooperativa.

    MINASUL
    A AGO da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha aprovou as contas correspondentes ao exercício do ano de 2018 e elegeu os membros do conselho de administração para o triênio 2019–2021 e do conselho fiscal para a gestão 2019–2020.

    Entre os destaques, registrou-se um recorde absoluto no resultado da Minasul, que somou R$ 14,257 milhões. Após a subtração dos valores para fundos legais, a Assembleia aprovou a distribuição de R$ 8,180 milhões, proporcional à movimentação financeira de cada cooperado, valor que será incorporado ao capital social de cada um.

    COCATREL
    Com o auditório lotado por cooperados, a AGO da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas aprovou as contas da atual administração e a destinação das sobras do exercício 2018, bem como a eleição dos componentes do Conselho Fiscal.

    Em 2018, a Cocatrel bateu recordes de recebimento de café e também de novos cooperados. Todo o trabalho realizado pela nova gestão resultou em recorde de faturamento e consequente sobra de R$ 10.902.118, que terá 50% destinados aos fundos previstos em estatuto e os outros 50% (R$ 5.451.059) distribuídos a seus cooperados de acordo com suas movimentações financeiras (comercialização de café, cereais e leite) na cooperativa.

    COCAPEC
    Cerca de 200 cooperados exerceram o seu compromisso com a Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas e compareceram na AGO da Cocapec em Franca (SP).

    Eles aprovaram as contas do exercício de 2018, definiram os novos membros para o Conselho Fiscal e foram informados que as sobras, depois das destinações estatutárias, foram de R$ 4.001.088,55, que terão como destino: (i) R$ 2.001.088,55 aos cooperados e (ii) R$ 2.000.000,00 para reserva legal.

    O presidente do CNC reforça que as gestões das cooperativas cafeeiras associadas ao Conselho acompanharam as mudanças contemporâneas e se modernizaram, permitindo que as organizações se fortalecessem ainda mais, sempre com o suporte dos cooperados.

    “A participação dos produtores é e sempre será fundamental para as cooperativas, afinal as cooperativas são deles. O apoio e a confiança de cada cooperado possibilitaram a tomada de relevantes decisões rumo ao progresso das entidades e parabenizo cada uma de nossas instituições pela excelente gestão na figura de seus presidentes Carlos Paulino, que transfere o comando da Cooxupé a Carlos Augusto Rodrigues de Melo; José Marcos Rafael Magalhães na Minasul; Marco Valério Araújo Brito na Cocatrel; e Carlos Sato na Cocapec””, finaliza Silas Brasileiro.

     Imprimir

    0 Comentários

    Deixe o seu comentário!

  • Publicidade