• Notícias

  • Colunistas

  • Agenda

  • Parceiros

    Parceiros
  • Enquete

    O que achou do site?

  • Notícias

    • Aprenda um novo Idioma com o ICBEU

    • Com a sua contribuição contornamos a falta de chuvas

    • 2º Vestibular Unicerp 2015 aconteceu neste sábado

      Escrito por Luiz Costa Jr. – Decom Unicerp

      O Centro Universitário do Cerrado Patrocínio realizou na tarde deste sábado, 24, o 2º Vestibular Unicerp 2015. O processo seletivo aconteceu no campus da instituição e contou com bom número de candidatos. A prova foi constituída de redação, que teve como tema ‘O jovem e a política’. Foram selecionados alunos para 14 cursos do Unicerp.

      O resultado será divulgado na segunda-feira, 26. Os aprovados poderão se matricular a partir do dia 27 de janeiro, terça-feira. As aulas começam no dia 09 de fevereiro de 2015.

      O 2º Vestibular Unicerp é uma nova chance para que o candidato ingresse no Ensino Superior. Quem realizou a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) ou já possui certificado de conclusão do Ensino Superior e ainda tem interesse em estudar no Unicerp pode procurar a Secretaria da instituição para saber a disponibilidade dos cursos.

      Para mais informações acesse www.unicerp.edu.br ou ligue 0800-942-3737 (ligação gratuita).

    • Balanço do Mercado de Café pelo CNC

      BALANÇO SEMANAL – 19 a 23/01/2015
      – Continuidade do veranico, das altas temperaturas e do déficit hídrico deverá diminuir a safra atual e já preocupa para 2016.

      CLIMA REDUZIRÁ SAFRA – O passar dos dias e a continuidade da falta de chuvas, das elevadas temperaturas e do déficit hídrico no cinturão cafeeiro do Brasil vem tornando ainda mais preocupante a situação das lavouras e transparecendo que colheremos um volume aquém do intervalo de 44,1 milhões a 46,6 milhões de sacas projetadas pelo Governo Federal no primeiro levantamento oficial da safra 2015.
      A Fundação Procafé, contratada pelo Conselho Nacional do Café, está em campo apurando as perdas que o veranico atual deverá ocasionar na colheita deste ano. O intuito é contribuir com o Governo para seus levantamentos futuros e, principalmente, tornarmos públicos dados mais atuais e condizentes à realidade de nossa safra, de maneira que se evitem ainda mais especulações no mercado cafeeiro e, consequentemente, preços aviltados aos produtores e/ou sobrepreços aos consumidores.
      O veranico do ano passado afetou especialmente os cafezais de Minas Gerais, São Paulo e Paraná, ocasionando quebra e interrompendo o ciclo bienal de nossas lavouras. Esses Estados, em 2015, permanecem em situação alarmante, haja vista que as condições climáticas estão parecidas com as de 2014.
      Além disso, este ano, as lavouras de café robusta no Espírito Santo também preocupam. Relatos de institutos de pesquisa apontam que há mais de um mês não chove nas principais regiões produtoras de conilon do Estado e já se registra falta de água para irrigar os cafezais devido aos baixos níveis nos reservatórios.
      O CNC reitera que a combinação de altas temperaturas, déficits hídricos e seca é extremamente prejudicial às lavouras de café nesta época, que é o período do enchimento e desenvolvimento dos grãos. E, com a adversidade climática que se repete este ano, certamente presenciaremos cafés menores, mal granados e mais leves, sendo necessário um maior volume de grãos para a composição de uma saca.
      Dessa forma, o Conselho Nacional do Café repudia quaisquer previsões de especuladores que emerjam, como ocorrido novamente nesta semana, com o intuito único de tirar proveito do mercado, pressionando cotações e deixando os produtores em cenário financeiro ainda pior do que o atual.
      Destarte, o CNC alerta que a safra 2016 também começa a ser comprometida com o baixo índice de vegetação dos cafezais no País. Temos recebido informações que o número de internódios – gemas de crescimento do caule para a formação dos grãos da colheita futura – encontra-se de cinco a seis, ao passo que deveriam ter se desenvolvido entre oito e 10. Normalmente, a previsão é que, ao final de março, os internódios cheguem a 15, mas isso será impossível no atual cenário, o que, certamente, impactará negativamente na safra do ano que vem.
      AMÉRICA CENTRAL – A colheita de café na América Central começou em novembro passado e, também neste continente, registram-se prejuízos devido à seca, em especial na Nicarágua, na Guatemala e em Honduras. A falta de precipitações, relacionada ao fenômeno climático El Niño, é um agravante para os produtores latinos que há duas safras também já enfrentam problemas relacionadas ao fungo roya, causador da ferrugem. Dessa maneira, o CNC alerta que é, no mínimo, precipitado dizer que as duas quebras de safra consecutivas do Brasil serão supridas por outras nações, principalmente quando se entende o cenário vivido nos países latinos.
      MERCADO – As cotações futuras do café acumularam queda nesta semana, refletindo o movimento dos investidores que anteciparam a chegada das chuvas sobre o cinturão produtor.
      Segundo a Somar Meteorologia, na quarta-feira, uma frente fria rompeu o bloqueio atmosférico que impedia a formação de chuvas sobre a região Sudeste do Brasil. Em consequência, até domingo, espera-se um acumulado médio de 30 milímetros de precipitações sobre São Paulo, Rio de Janeiro, centro, oeste e sul de Minas Gerais, leste de Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e no leste e sudoeste de Goiás.
      Mesmo com a previsão de aumento da umidade no cinturão produtor nos próximos dias, o mês de janeiro encerrará com volume acumulado de chuvas abaixo da média histórica, associado a elevadas temperaturas, justamente na fase crítica de enchimento dos grãos de café.
      O vencimento março do Contrato C, negociado na bolsa de Nova York, foi cotado, na quinta-feira, a US$ 1,5995 por libra-peso, acumulando queda de 1.105 pontos em relação ao final da semana passada. A ICE Futures Europe seguiu a mesma tendência, com o vencimento março/2015 dos futuros do café robusta encerrando a sessão de ontem a US$ 1.940 por tonelada, com perdas de US$ 30 desde a última sexta-feira.
      No mercado físico brasileiro, a queda dos preços limitou ainda mais a realização de negócios, que já seguiam em ritmo lento. Ontem, os indicadores calculados pelo Cepea para as variedades arábica e conilon foram cotados a R$ 440,45/saca e a R$ 280,51/saca, respectivamente, com quedas de 7,7% e 1,9% no acumulado da semana. A tendência de recuo das cotações do dólar acentua o impacto da desvalorização internacional na formação dos preços domésticos.
      Também na quinta-feira, o dólar comercial encerrou a sessão a R$ 2,575, com perda de 1,8% desde a sexta da semana antecedente. As medidas de maior rigor fiscal anunciadas pelo governo brasileiro e o lançamento do programa de estímulo à economia da zona do euro, pelo Banco Central Europeu, foram as principais motivações para a apreciação do real.
      Atenciosamente,

      Silas Brasileiro
      Presidente Executivo

    • Ofertas Supermercado Bernardão para segunda 26/01/2015

      SUPERMERCADO BERNARDÃO

      1º ARROZ VASCONCELOS 5 KG R$ 10,98
      2º LEITE ITAMBÉ 1 LITRO R$ 1,79
      3º AMACIANTE YPÊ 5 LITROS R$ 12,98
      4º SABÃO EM PÓ SURF 1 KG R$ 4,99
      5º PAPEL HIGIÊNICO BOB: LEVE 12 E PAGUE 11 – 60 METROS R$ 7,98
      6º DESINFETANTE VOREL 2 LITROS R$ 2,69
      7º SABONETE JOHNSONS SUAVE 90 GRAMAS R$ 0,98
      OFERTAS VÁLIDAS “APENAS” PARA ESTA SEGUNDA
      26/01/2015

    • Pesquisadores do UNICERP – Qualidade da água do Município de Patrocínio

      Pesquisadores do curso de Ciências Biológicas do UNICERP desenvolvem trabalho sobre a qualidade da água do Município de Patrocínio

      A equipe de Professores do grupo de pesquisa do UNICERP, Drª. Lilian Cristina Barbosa com a colaboração do professor Dr. Wagner Antônio Bernardes juntamente com as alunas do 8º período do curso de Ciências Biológicas Laís Alves Bonifácio e Karoline de Moura Ramos Corrêa, realizaram uma pesquisa na Bacia hidrográfica do Córrego Feio, responsável pelo abastecimento de água em Patrocínio, sendo a pesquisa utilizada como trabalho de conclusão de curso das alunas.

      O objetivo do trabalho realizado foi avaliar a presença de compostos genotóxicos ou citotóxicos na água que possam provocar alterações no DNA. De acordo com pesquisas científicas, essas alterações podem levar ao desenvolvimento de doenças, entre elas o câncer. Essa é uma preocupação antiga que gera dúvidas e ansiedade na comunidade. A pesquisa foi feita através de teste do micronúcleo em células de peixe /Rhamdia quelen /(Bagre) e do vegetal /Allium cepa/.

      Segundo a literatura, essas espécies são excelentes bioindicadores de qualquer ação contaminante do ambiente aquático. O teste utilizado para a detecção de compostos tóxicos foi o teste do micronúcleo, que é amplamente utilizado em genética toxicológica, pela sua capacidade de determinar genotoxicidade.

      Estudos como esse são de grande relevância. Os resultados preliminares, nas condições experimentais utilizadas, sugerem a ausência de compostos genotóxicos ou citotóxicos presentes no ponto de captação da Bacia Hidrográfica do Córrego Feio capaz de danificar o DNA. Em parceria com o DAEPA foram feitas também análises fisico-químico no ponto de captação da água onde, os testes mostraram que os níveis estão dentro dos padrões estabelecidos pelo CONAMA.

      No entanto, o biomonitoramento da Bacia continuará sendo feita em períodos regulares, pela equipe de pesquisa do UNICERP, para garantir o uso seguro da água pela população de Patrocínio.

    • Ofertas Supermercado Bernardão para quinta e sexta-feira 22 e 23/01/2015

      SUPERMERCADO BERNARDÃO

      1º FRALDA PERSONAL PACOTÃO R$ 14,98
      2º TOALHA CAMESA FIRENZE: BANHO R$ 10,98 / ROSTO R$ 4,49
      3º TRAVESSEIRO ALTENBURG MICROFIBRA R$ 14,98
      4º REFRIGERANTE SCHIN 2 LITROS R$ 2,99
      5º COXINHA DA ASA SADIA BANDEJA 1 KG R$ 6,98
      6º COSTELA BOVINA KG R$ 7,99
      7º MAÇÃ DE PEITO / ACÉM: FRIBOI RESERVA KG R$ 10,98
      OFERTAS VÁLIDAS “APENAS” PARA ESTA QUINTA E SEXTA
      22/01 e 23/01/2015

    • KM Modas: Moda Masculina, Feminina e Acessórios

      Moda Masculina, Feminina e Acessórios. Av. Rui Barbosa, 632 Centro Patrocínio – MG 34-3831.5397
      Exclusividade Bunny’s e Frittz.

    • Balanço Semanal do Mercado do Café pelo CNC

      BALANÇO SEMANAL — 12 a 16/01/2015

      — Safra 2015 deverá apresentar redução em relação aos números oficiais. Pesquisa foi realizada em dezembro, antes dos efeitos do veranico deste mês.

      SAFRA 2015 — Na segunda-feira, dia 12, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou seu primeiro levantamento para a safra 2015 de café, no qual apontou a produção total de 44,11 milhões a 46,61 milhões de sacas de 60 kg. Os volumes apresentados no intervalo representam uma redução de 2,7% em relação a 2014, caso seja atingida a menor estimativa, ou uma alta de 2,8%, se alcançar o montante superior, e são condizentes com o volume anunciado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na semana antecedente, de 45,5 milhões de sacas.

      Ao tempo em que o Conselho Nacional do Café congratula ambas as estatais pela aproximação dos números referentes à mesma safra, a entidade também salienta que os volumes projetados foram apurados com trabalhos de campo em dezembro, não considerando, portanto, esse novo veranico que vem se estabelecendo sobre o cinturão cafeeiro do Brasil.

      Dessa forma, destacamos que a safra 2015 de café do País poderá se situar em patamares inferiores aos anunciados, haja vista que janeiro e fevereiro são meses fundamentais para o desenvolvimento dos grãos e, semelhante ao ocorrido em 2014, temos vivenciado temperaturas muito elevadas, escassez de chuvas e déficits hídricos no solo, condições que, certamente, trarão novo prejuízo para a produção.

      O CNC reitera, ainda, que, com o intuito de contribuir com o Governo Federal na apuração do tamanho da colheita cafeeira, contratou a conceituada Fundação Procafé para realizar trabalhos de campo, agora em janeiro, para apurar as perdas iniciais que o novo veranico trará à safra deste ano.

      Por ser realizado neste mês, o levantamento deverá trazer informações mais atualizadas e já condizentes com a realidade da falta de água e das altas temperaturas, sinalizando, de fato e até o momento, qual deverá ser a quebra ocasionada por essa nova anomalia climática.

      MERCADO — As condições meteorológicas atípicas para o mês de janeiro no Brasil, com elevadas temperaturas e precipitações aquém das médias históricas, voltam a gerar preocupações quanto à oferta de café na safra 2015/16, aumentando a volatilidade do mercado. No acumulado da semana, as cotações do arábica acumularam perdas, principalmente devido às realizações de lucros que predominaram no final da sessão de ontem em Nova York.

      Nos últimos 30 dias, a disponibilidade de água no solo em Minas Gerais esteve cerca de 70% abaixo da média, conforme dados disponibilizados pelo MDA Weather Services. Já o Reuters Weather Dashboard informou que um bloqueio atmosférico continua impedindo o avanço de frentes frias sobre a região Sudeste do Brasil, que deverá receber, até 27 de janeiro, metade do volume normal de chuvas para esta época do ano. A restrição de umidade é crítica nessa fase de granação do café que será colhido nos próximos meses.

      O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) realizou um levantamento para avaliar a percepção dos agentes de mercado sobre o desenvolvimento regional da safra brasileira 2015/16, cujos resultados encontram-se resumidos no quadro abaixo. A instituição reforçou que ainda é precoce qualquer estimativa dos danos causados pelo clima recente, porém há indicativos que a produção poderá ser menor que a estimada pela Conab, caso a seca e o calor persistam.

      Fonte: Cepea

      O cenário climático no Brasil preocupa bastante, principalmente porque a oferta global do grão já sofreu retração na temporada 2014/15, conforme estimativas iniciais da Organização Internacional do Café (OIC). Segundo a entidade, a produção mundial em 2014/15 aproximou-se de 141,4 milhões de sacas, com queda de 3,6% ante as 146,8 milhões de sacas registradas em 2013/14. Houve queda tanto nos volumes colhidos de arábica, em 3,7%, como de robusta (3,6%), resultantes das condições climáticas adversas no Brasil e na Indonésia, além do surto de ferrugem na América Central, embora seus efeitos tenham sido menores em relação ao ciclo 2013. Apenas os suaves colombianos apresentaram recuperação, dadas as perspectivas de crescimento da produção de café naquele país.

      A queda dos volumes produzidos vem acompanhada de significativa retração de estoques nos países produtores, principalmente no Brasil, devido ao aumento dos fluxos de exportação. De acordo com o último informe estatístico do Ministério da Agricultura, as exportações brasileiras totais de café (verde e industrializado) atingiram 36,74 milhões de sacas em 2014, volume 14,8% superior ao de 2013. A receita cambial também apresentou expressivo crescimento, de 26,3%, resultando em US$ 6,66 bilhões no ano. Com isso, o café consolidou-se como o quinto principal produto da pauta de exportações do agronegócio do Brasil, sendo responsável por aproximadamente 7% das divisas geradas por esse setor.

      No tocante ao câmbio brasileiro, não houve variação significativa no acumulado da semana. Até a quarta-feira predominava a tendência de valorização do real, mas ontem o dólar fechou em alta, praticamente zerando as perdas, a R$ 2,6422.

      O vencimento março do Contrato C, negociado na bolsa de Nova York, foi cotado, na quinta-feira, a US$ 1,7665 por libra-peso, acumulando queda de 340 pontos em relação ao final da semana passada. Na ICE Futures Europe, o vencimento março/2015 dos futuros do café robusta encerrou a sessão de ontem a US$ 1.998 por tonelada, com ganhos de US$ 35 desde a última sexta-feira.

      As perspectivas de menor produção de robusta no Vietnã nesta temporada e a tendência de seus cafeicultores retraírem as vendas, auxiliados pela oferta de crédito mais barato para a estocagem, têm sustentado as cotações da bolsa londrina. Segundo a Agência Safras, a colheita da temporada 2014/15 está quase finalizada no país asiático e os produtores venderam apenas 15% da safra até o final de dezembro, em comparação a 22% no ano anterior.

      Quanto ao mercado físico brasileiro, os negócios apresentaram baixa liquidez, já que os produtores seguraram as vendas aguardando novas valorizações nos preços do café. Ressaltamos que, dadas a elevada volatilidade e a incerteza resultante do mercado climático, é importante que os produtores acompanhem seus custos e tenham em mente as margens de comercialização almejadas para garantirem boas vendas. Ontem, os indicadores calculados pelo Cepea para as variedades arábica e conilon foram cotados a R$ 490,22/saca e a R$ 287,13/saca, respectivamente, com variação de -0,7% e 1%.

      Nesta semana, o Mapa também divulgou o fechamento do Valor Bruto da Produção do café de 2014. Segundo as estatísticas divulgadas, o VBP da atividade apresentou aumento de 17%, para R$ 16,96 bilhões ante os R$ 14,5 bilhões alcançados em 2013. Como esse é um indicador da geração de renda de uma atividade, concluímos que a alta dos preços no ano passado não foi suficiente para a recuperação das condições financeiras dos produtores, já que, em 2011 e 2012, o VBP do café superou os R$ 20 bilhões. Esse fato, aliado ao aumento dos custos, reforça a necessidade do planejamento e da implementação de uma política cafeeira de longo prazo, que garanta renda à produção e a posição do Brasil como o principal fornecedor do produto no mundo.

      Atenciosamente,

      Silas Brasileiro
      Presidente Executivo do CNC

    • IFTM: Inscrições abertas para o SISU 2015

      Escrito por Ascom-PMP

      A partir desta segunda-feira (19), até o dia 22/01, sexta-feira, estão abertas as inscrições para o Sistema de Seleção Unificado – SiSU.

      A seleção para os cursos superiores do IFTM – Campus Patrocínio é feita integralmente pelo SiSU, ou seja, não existe mais o vestibular.

      O Edital com todas as informações sobre o SISU está no site www.iftm.edu.br/ingresso.

      Além disso, é possível encontrar informações sobre os cursos do IFTM para os quais é preciso fazer inscrição no SISU.

      Durante o período de inscrições, estará disponível acesso gratuito à internet para a inscrição dos estudantes no IFTM, endereço: Av. Líria Terezinha Lassi Capuano, nº255, Bairro Chácara das Rosas.

      Mais informações pelo telefone: (34)3515-2100.

  • Publicidade